30º aniversário do pior acidente da usina nuclear

Em 26 de abril de 1986, o reator número quatro da planta de Chernobyl explodiu na Ucrânia, perto de Kiev, liberando grandes quantidades de partículas radioativas superiores a 500 bombas atômicas de Hiroshima, espalhando-se sobre uma nuvem de poeira que atingiu a U.K., gerando três toneladas de materiais radioativos.

Mais de 2500 pessoas perderam suas vidas diretamente, 93000 casos de câncer derivado, 5000 suicídios e também inúmeras malformações, são conseqüência desse desastre radioativo. Indiretamente, morreram mais de 200 mil pessoas.

Chernobyl foi fechado e desmantelado desde 2000. Em novembro, uma estrutura de aço em forma de arco será colocada sobre o reator número quatro, o qual explodiu e protegerá de qualquer vazamento radioativo. Apesar de tudo, há uma falta de cooperação entre a Rússia ea Ucrânia em Chernobyl, embora a segurança nuclear seja um campo de atividade mais importante do que a política.

Três décadas sem qualquer humano

Mesmo que o desastre, a inatividade humana da área tenha provocado um aumento surpreendente da população animal: há sétimo mais lobos do que nas reservas mais próximas, alces, javalis, ervas e veados. Até os ursos.

Analisando dados históricos, os pesquisadores concluem que a população animal não sofreu danos extraordinários, após os primeiros seis meses do acidente, quando o alto nível de radioatividade danificou a saúde e a reprodução, mas não a longo prazo.

Hoje é o aniversário do nosso planeta, dia triste antes de saber que as temperaturas globais continuam a aumentar.

Dia da Terra de hoje, quando celebramos o nascimento do nosso planeta, desde o dia 22 de abril de 1970. Em seguida, foram promulgadas leis sobre proteção ambiental, a primeira foi denominada “Ar puro, água limpa e espécies ameaçadas de extinção”.

No entanto, as más notícias neste dia, quando a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), confirmaram que março de 2016 foi o mês mais quente desde 1880, quando a agência americana começou a trabalhar.

Em março, registramos temperaturas em partes do Brasil, leste e meio da África, sul da Ásia e norte e leste da Austrália. Ao mesmo tempo, um frio incomum foi detectado no nordeste do Canadá, no nordeste da África e parte do sul da América.

As temperaturas médias da Terra e dos oceanos foram de cerca de 1,22 graus centígrados superiores à média de 12,7 do século XX, em conformidade com o último relatório mensal da Agência. A temperatura em março foi 0,32 graus acima do mesmo mês do ano passado. Os dez meses anteriores tiveram temperaturas recorde em comparação com outros anos.

2015 excedem todas as médias de temperatura e foi a traça mais quente de sempre, embora certamente possamos confirmar que 2016 gravaria esta estatística.

Hoje é o dia para fazer uma pausa para pensar sobre a proteção que devemos ao nosso planeta, que nos traz para casa e para a vida.

Feliz Dia da Terra 2016!

50% do Patrimônio do Mundo Natural, em grave risco

O relatório de Dalberg Global Development Advisors, disse que todas as indústrias relacionadas à exploração de petróleo e gás, mineração ou a remoção maciça de árvores ao redor ou dentro dessas áreas naturais ameaçam seriamente nosso Patrimônio do Mundo Natural, declarado pela UNESCO.

114 de 229 espaços estão em risco, e 12 deles estão localizados na União Européia. Entre esta lista podemos encontrar o Parque Nacional de Doñana, a Floresta Laurisilva da Madeira, o Parque Nacional de Pirin ou os Lagos Plitvice.

Essas áreas devem receber a máxima proteção, e os fatores que colocam em risco sua sobrevivência devem ser frustrados. Hoje em dia, esta proteção é completamente ineficaz, comentou o gerente geral da WWF.

Ele apóia a idéia de aumentar o valor do Patrimônio do Mundo Natural e os inúmeros benefícios que esses patrimônios fornecem, estabelecendo alternativas reais e sustentáveis e recusando o financiamento de indústrias prejudiciais para o meio ambiente.